Vem aí o 1º TCC da UNIRIO na linguagem do Cabaré

CORAGEM MEU AMOR: peça bêbada em 13 quadros é o título da peça de conclusão de curso da estudante de Direção Teatral da Escola de Teatro da UNIRIO, Juliana Thiré, que pesquisa a linguagem do cabaré no nosso projeto há 4 anos. O projeto da peça foi apresentado no fim do último semestre remoto na disciplina “TCC Construção” com orientação de Christina Streva e Luiz Henrique Sá.

Pensado para estrear na Sala Glauce Rocha, no campus do CLA, os projetos de cenografia e figurino são assinados por Maria Laura Abreu e Silvana Rocío, com orientação de Luiz Henrique Sá. O elenco é formado por atores que também tem uma história com o Cabaré Incoerente, são eles Filipe Felix (um dos fundadores do projeto), Álvaro Victor, Thais Mazzoni e Vicentina Flor. A orientação de direção, claro, é da nossa coordenadora Christina Streva, e a assistência é feita por Rahira Coelho. Sonoplastia de Pedro Pedrosa, cartazes de Ana Frango Elétrico, interlocuções na pesquisa de movimento com Luana Vítor e Palu Felipe e preparação vocal de Felipe Carreiro. “Coragem meu amor” também visa um trio musicista que acompanhará com música ao vivo todo o espetáculo.

Projeto de cenografia de Maria Laura Abreu, orientação Luiz Henrique Sá
Projeto de cenografia de Maria Laura Abreu, orientação Luiz Henrique Sá

A cabareturgia, também assinada pela Thiré, é uma colagem feita a partir de mil coisas, como poemas, listas e títulos variados, descrições de performances, documentos históricos, ditados populares, letras de músicas e anotações dos artistas envolvidos.

Primeiro esboço de figurino por Silvana Rocío
Foto do diário de processo da direção

Sinopse: Diante de uma ruína que só cresce, 4 atores, 3 músicos e um espaço se arrastam para contar uma história. Não se sabe muito bem onde começa e onde termina, não se sabe se é uma história de amor ou de carnificina.

Pesquisa de movimento com Filipe Felix
Imagem de inspiração vetorial fachada casarão Rio Antigo

Os títulos dos quadros, pra dar um gostinho do que nos aguarda: Piano-bar; O poema entra em cena; Bailarinas Alucinadas; Uma Galinha; Paixões Bélicas I; Cadê o paninho; Pitada Milagrosa; O espelho idiota; Transição Gratuita; Paixões Bélicas II; Venham meus caranguejinhos; Estamos fugindo?

Foto de diário de processo da direção
Pesquisa cênica na sala Esther Leão antes da interrupção causada pela pandemia de Covid-19

A diretora:
Atualmente bolsista de extensão e recém aprovada para ingressar na Iniciação Científica com o projeto de pesquisa “Literaturas boêmias: pistas para o cabaré no Rio Antigo”, Juliana Thiré entrou para o Cabaré Incoerente como colaboradora em 2017. De lá pra cá, performou, pesquisou e fez assistência de direção nos espetáculos Cabaré Carioca, Cabaré Sade, Cabaré Phoenix e em muitas Noites Incoerentes de Cabaré. Em 2019 teve sua estreia como diretora com o Beco da Serpente Cabaré, e agora está gestando “Coragem meu amor: peça bêbada em 13 quadros” como trabalho de conclusão de curso, cuja estreia está prevista para 2022, com defesa para banca concomitante com a publicação da pesquisa de I.C.

Deu pra sentir o gostinho? Se quiser saber mais, fique de olho no site em construção da peça
Se já estávamos louc@s para voltar a fazer cabaré presencialmente, imagina agora! Que venham outros TCCs e pesquisas na linguagem do cabaré!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s