Karl Valentin

Nascimento: Munique, 04 de junho de 1882
Morte: Planegg, 09 de fevereiro de 1948

Karl Valentin foi um cabaretista, comediante, autor e produtor de filmes. Nasceu no dia 4 de junho de 1882 em Munique, na Alemanha, com o nome de Valentin Ludwig Fey. Começou a trabalhar como marceneiro, essa habilidade lhe proporcionou no futuro a construção de seus próprios materiais. Em 1902 começou na carreira cômica em Munique. Durante 26 anos de sua carreira trabalhou com a parceira Liesl Karlstadt, que abandou a parceria em 1935 por razões de saúde. Seu trabalho residia nos jogos de palavras e dialogava com o dadaísmo e o expressionismo. Sua influência na cultura alemã foi tão grande que foi considerado o Charles Chaplin dos dadaístas de Munique. Bertold Brecht disse que Karl Valentin foi inspiração para o seu teatro. Karl Valentin faleceu em 9 de fevereiro de 1948 em Planegg por pneumonia.

 

Pesquisa realizada por: Rafael Ferreira (Discente de Teatro da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO)

 

Galeria de fotos:

 

Links de vídeos: 

Músicas: 
https://m.letras.mus.br/karl-valentin/1838533/#mais-acessadas

Banco de peças: 
http://www.teatronaescola.com/~teatrona/index.php/banco-de-pecas/category/karl-valentin

 

Mais sobre sua biografia:

Valentin Ludwig Fey nasceu em 04 de junho de 1882 em Munique filho de filho de Johann Valentin Fey e Maria Johanna Schatte. Filho de uma família modesta, teve seu primeiro emprego aos 15 anos como marceneiro. Sua habilidade na carpintaria lhe ajudou a produzir seu próprio material cênico, ele chegou a ter uma oficina em sua casa em Planegg onde gostaria de se aposentar. Trabalhou em várias empresas de carpintaria e em 1897 fez aparições como comediante em eventos em clubes.

De maio a junho de 1902, Valentin frequenta a escola do comediante Hermann Strebel. Depois, ele se apresenta no show de variedades, em Nuremberg, onde aparece pela primeira vez sob o seu nome artístico Karl Valentin. Em 7 de outubro de 1902 sua carreira é interrompida pela morte de seu pai. Até 1906, Valentin assume a administração da empresa de seu pai juntamente com sua mãe, após essa data eles vendem a empresa e voltam para cidade natal de sua mãe. Entretanto consegue manter a carreira artística em paralelo e escreve seu primeiro número musical, “Lebende Orchestrion”. Nesse meio tempo, em 1905 nasceu sua primeira filha, Gisela, a mãe é Gisela Royes, namorada de Karl Valentin que trabalhava como empregada doméstica de seus pais.

Em 1907 ele viaja em turnê com seu número musical pela Alemanha com o pseudônimo de Charles Fey. A turnê é um fracasso e ele retorna para casa quase que indigente. É então que ele investe na comédia para tentar mais uma vez a carreira artística.

Em 1908 ele começa a fazer sucesso como comediante graças ao seu número “Frankfurter Hofs”. Com a situação financeira melhor, ele volta com sua família para Munique. Dois anos depois nasce sua filha Berta.

Em 1911, em Frankfurter, Valentin conhece a atriz cômica Elisabeth Wellano. Ela se tornará sua parceira, sob o pseudônimo de Liesl Karlstadt. No mesmo ano, Valentin se casa com sua namorada de longa data e mãe de suas filhas. Um ano depois monta seu estúdio de cinema e filma seu primeiro filme: “Karl Valentins Hochzeit”.

Com 21 anos, em 1913, se apresenta pela primeira vez com Liesl Karlstadt, esta parceria durará 26 anos. No seguinte faz a primeira versão do filme “Tingeltangel”, ainda neste ano é liberado do alistamento militar para a Primeira Guerra Mundial por conta de problemas respiratórios. Mesmo com a guerra, sua carreira cresce e entre 1916 e 1921 é um grande nome dos cabarés de Munique.

O auge de sua carreira foi entre 1922 e 1933. Em 22, fez parceria com Bertold Brecht e Erich Engel no filme “Mysterien eines Frisiersalons”. Brecht inclusive credita Karl Valentin como um grande influenciador de sua estética teatral. Em 23, mesmo com o falecimento de sua mãe, faz turnê em Viena, Zurique e Nuremberg. Tem boa recepção em Munique com a estreia de “Raubritter vor München” em 24 e em Berlim com “Neuen Operettenhaus” no mesmo ano. Ainda em 24 compra uma casa em Planegg para servir como lar de idosos. Nos anos seguintes, estreia “Der Bittsteller” (1925) e “Die beiden Elektrotechniker” (1925), “Orchesterprobe” (1928), “Goethesaal” (1931, esse como diretor de teatro, mas não fica satisfeito com a experiência e logo retorna aos palcos), “Der Sonderling” (1929), “Die verkaufte Braut” (1932) e a adaptação cinematográfica de “Orchesterprobe” (1933).

Karl Valentin foi denominado o Charles Chaplin alemão, ele só não ficou tão famoso quanto o próprio porque tinha fobia de longas viagem, isto culminou até numa recusa de participação em um filme em Hollywood em 1926.

Em 1934 sua carreira começou a declinar, após as adaptações cinematográficas de “Theaterbesuch” e “Firmling”, e Valentin, junto com Liesl Karlstadt abre o Panoptikum, um espaço artístico no porão de um hotel da cidade.  O projeto fracassou e levou os dois artistas à ruína financeira, provocando um colapso nervoso em Karlstadt, que chegou a tentar o suicídio em 1935. No ano seguinte, o filme “Die Erbschaft”, que foi tocado pela dupla, é censurado por não se encaixar na visão de mundo que os governantes querem passar.

Em 1939, a parceria com Liesl Karlstadt termina porque a atriz precisa se tratar de um problema de saúde. Karl Valentin começa a trabalhar com Anne-Marie Fischer (eles já haviam trabalhados juntos em 1930 quando a atriz tinha 13 anos), mas a parceria dura pouco mais e um ano. Em 40, ele se apresenta pela última vez com Liesl Karlstadt, esta é sua última aparição pública antes do fim da guerra, com a exceção de duas aparições curtas em novembro de 1941 no Circus Krone.

Em 1941, Valentin vai para Planegg e fica lá até sua morte por pneumonia em 1948. Durante este tempo ele ainda escreve o livro “Meine Jugendstreiche” bem como muitas cenas, monólogos e artigos. Com sua visão e seu humor dadaísta, ele não agrada mais o público e acaba perdendo suas fontes de renda. Em 1947, Karl Valentin tenta construir seu sucesso no estágio anterior, ele retorna com Liesl Karlstadt como parceiro, no ano seguinte se apresenta para convidados no “Cubo Colorido”, Karl Valentin toma um resfriado enquanto dorme no guarda-roupa sem aquecimento. O resfriado evolui para pneumonia e ele morre.

Referências Bibliográficas:

TADEU, Filipe. 1882: Nasce o comediante bávaro Karl Valentin. Disponível em: < http://www.dw.com/pt-br/1882-nasce-o-comediante-b%C3%A1varo-karl-valentin/a-3241449&gt;. Acessado em: 26/04/2018.

Karl Valentin Biography. Disponível em:  <https://www.imdb.com/name/nm0884171/bio?ref_=nm_ov_bio_sm&gt;. Acessado em: 26/04/2018.

Valentin – Biographe. Disponível em: <http://www.karl-valentin.de/leben/biographie.htm&gt;.  Acessado em: 26/04/2018.

Valentin Karlstadt Musäum <http://valentin-musaeum.de/de/&gt;.  Acessado em: 26/04/2018.