Max Reinhardt

Nascimento: 9 de setembro de 1873, em Baden, Áustria.
Morte: 31 de outubro de 1943, em Nova York.
Nome de registro: Maximilian Goldmann
Nome artístico: Max Reinhardt

Produtor e diretor teatral austríaco, de origem judaica, Max Reinhardt foi um dos maiores nomes do teatro alemão do início do século XX. 
Estudou arte dramática em Viena e Salzburgo e, em 1894, ingressou como ator no Deutsches Theater de Berlim (Teatro Alemão de Berlim), dirigido por Otto Brahm.
Em 1901, fundou o famoso cabaré Schall und Rauch (Ruído e Fumaça), cuja pesquisa você também encontra em nosso site.
Em 1902 assumiu a direção do Kleines Theater e um ano mais tarde a do Neues Theater,
Logo em 1905, comprou e assumiu a direção do Teatro Alemão de Berlim (Deutsches Theater), o qual remodelou completamente introduzindo as mais recentes tecnologias, e abriu uma escola. Ao lado do Deutsches Teather, inaugurou uma pequena sala de espetáculos para receber peças intimistas, e batizou de “Teatro de Câmara”. Por muito tempo suas montagens revolucionariam o estilo teatral em toda a Europa, abrindo novos caminhos à cenografia por meio de efeitos inovadores de iluminação. A marca de suas iniciativas era fazer com que os espectadores deixassem de contemplar passivamente a ação que se desenrolava sobre o palco para experienciá-la. O sucesso de “Sonhos de Uma Noite de Verão”, de Shakespeare, já em 1905, foi enorme. Sua adaptação revelava uma concepção teatral original: montagens monumentais, grande imaginação visual, elenco numeroso, todos os recursos técnicos possíveis e, ao mesmo tempo, uma atmosfera de caráter expressionista ou simbolista. Em 1907 a companhia Deutsches viajou pelos EUA e Europa. Um exemplo dos mais expressivos de seu estilo foi a produção de Das Mirakel (O milagre), de Karl Gustav Vollmoeller, encenada em Londres em 1922, com mais de dois mil figurantes entre atores, músicos e bailarinos. Nos anos seguintes, o trabalho do entusiasta proporcionaria uma verdadeira revitalização dos clássicos da dramaturgia.
Em 1920, Reinhardt funda e passa a dirigir os festivais de teatro de Salzburgo, na Áustria. Com a ascenção do Nazismo, se viu obrigado a exilar-se em Viena e, depois, nos EUA, onde pôde dar continuidade aos seus trabalhos.

Ficha feita por: Juliana Thiré (discente da Escola de Teatro da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO)

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s